Curitiba - PR
+55 (41) 99154-9889
Campo Grande - MS
+55 (67) 99295-3259

Tem dúvidas sobre contratar um detetive?

  • Home
  • Blog
  • Tem dúvidas sobre contratar um detetive?

Conheça três tipos de situação em que o detetive particular em Campo Grande e Curitiba pode te ajudar. Investigação Conjugal, Defensiva e Monitoramento de pessoas (maus tratos e adolescentes)

A contratação de um detetive particular pode ser fundamental para resolução de diversos casos. Para quem já contratou o serviço, sabe dos benefícios que este profissional pode agregar por estar habituado com a rotina de coletar informações para elucidar um fato.

Para quem nunca contou com os serviços de um investigador particular, como é uma atividade envolta em diversas crenças alimentadas por filmes, imaginamos que ele atua na solução de crimes complexos e casos extremamente difíceis que fogem ao cotidiano.

Não poderia ser mais equivocada essa afirmação! O detetive particular atua em situações que exigem técnica no levantamento de dados, obtenção de provas e fornecendo elementos suficientes para demonstrar a verdade sobre uma determinada situação.

 Conheça agora os três principais tipos de caso em que a atuação do detetive pode ser determinante para o caso.

  1. Investigação Conjugal: Sim! O grande campeão dos casos em que envolve a contratação de um detetive.

Não pense estamos falando de uma pessoa extremamente ciumenta e paranoica com a relação. Na maioria dos casos a desconfiança vem de indícios bastantes razoáveis.

A mudança do comportamento do parceiro na relação, incluindo alteração na rotina, que pode envolver criar compromissos para justificar encontros casuais, esconder o celular, omitir fatos importantes. Tudo isso alimenta a dúvida e insegurança do parceiro que contrata o detetive particular na expectativa de descobrir a traição do cônjuge.

Na maioria das vezes ela existe de fato, o flagrante da traição comprova a desconfiança do cliente. Em outras ocasiões esse momento desastroso para relação pode servir para comprovar as atitudes levianas do parceiro e beneficiar o traído no acordo da partilha dos bens, por exemplo.

Como já falamos aqui no blog, os casos de infidelidade conjugal podem motivar perda patrimonial ao cônjuge desleal, seja por força de cláusula contratual estabelecida pelos próprios nubentes, seja por força da lei em alguns casos específicos, como quando a casa da família for financiada por programa habitacional. Nestes casos, a mulher ficará com o bem, pois a lei presume que esta assumirá os cuidados com os filhos, senão de forma integral, pelo menos de maneira majoritária, dando-lhe a garantia legal de permanecer no bem imóvel da família.

  1. Investigação Defensiva: O tema é bastante recente, tendo sido regulamentado pelo Provimento n. 188 do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil.

Por essa norma, os advogados podem realizar investigação sobre fatos na órbita criminal, para esclarecer o fato e buscar elementos para a defesa de um cliente. Para isso, o provimento admite que o defensor conte com apoio de equipe, inclusive detetive particular, para auxiliar na elucidação do caso.

Neste viés, a atuação do detetive pode envolver levantamento de dados sobre os envolvidos no fato, bem como, atuar diretamente na coleta de provas como imagens de momentos importantes.

Importa dizer, ainda, que a investigação defensiva é muito tratada para os casos de defesa criminal, mas ela pode ser usada em casos trabalhistas, empresariais e no direito de família.

Durante uma investigação particular é possível levantar informações sobre uma pessoa traçando seu perfil comportamental com base na sua rotina, onde frequenta, relacionamentos pessoais e seu trabalho. Através desses dados pode-se provar que a pessoa possui uma condição financeira maior da que alega no processo de divórcio, pois esconde bens da partilha.

Também através deste recurso da investigação particular uma empresa pode descobrir ser falsa a alegação de determinado empregado sobre acidente de trabalho, motivo de dispensa ou conduta dolosa com intuito de prejudicar o empregador.

  1. Monitoramento de Pessoas: O tema é bastante complexo e exige preparo técnico do investigador. Isso porque monitorar uma pessoa tem que obedecer aos limites legais da privacidade e intimidade que são direitos fundamentais.

Nestas situações, o detetive deve agir com extrema perícia para conservar o zelo pelo sigilo da investigação, tanto sobre o vínculo contratual com o cliente, quanto sobre a realização das diligências.

Agora você deve se perguntar: Quais os casos que envolvem monitoramento de pessoas?

Bom, vamos trabalhar com dois exemplos que são bastantes comuns. O primeiro é o caso em que a família contrata algum cuidador e desconfia de maus tratos. Existem situações em as agressões ocorrem de forma sutil e sem deixar vestígios. Podem acontecer fora da casa, como num momento em que se leva a pessoa cuidada para passear.

Outra situação é quando envolve filho adolescente. Os pais contam, cada vez mais, com recursos para saber da rotina de seus filhos, que lugares costuma frequentar, quem são os amigos, se possui algum relacionamento e as atividades de lazer. Tudo isso para evitar alguma situação que cause risco ao adolescente.

Em ambas as situações é importante contar com serviços de uma equipe especializada, principalmente se você já usou algum recurso por conta própria e ele foi insuficiente para esclarecer o fato.

Por Jamille Calado, Comando Detetives - Agência de Detetive Particular em Campo Grande e Curitiba

ENDEREÇOS
  • Rua Tapajós, n° 848 - Vila Rica, Campo Grande - MS

  • Av. Visconde De Guarapuava, 4628 - Batel, Curitiba - PR

REDES SOCIAIS

Selecione uma das filiais abaixo e fale conosco.


  • Campo Grande
  • Curitiba